Os sistemas de Geração Distribuída ganharam espaço em todo o território brasileiro, e continuam conquistando lares, estabelecimentos, indústrias e propriedades rurais a cada dia.

Dessa forma, o aumento da instalação de sistemas fotovoltaicos em todos os estados brasileiros bateu recorde no primeiro semestre de 2021.

Segundo dados da ANEEL em conjunto com a ABSOLAR, Minas Gerais lidera o ranking, sendo o primeiro estado do país a ultrapassar a marca de 1 GW em operação em residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos.

Em segundo lugar temos São Paulo, com 740 MW instalados, e em terceiro o Rio Grande do Sul, que já atingiu 730,7 MW de potência solar instalada.

O Paraná, que aparece em sexto lugar, atraiu mais de R$ 1,6 bilhão em investimentos no setor fotovoltaico, além de ter gerado quase 10 mil empregos e arrecadado mais de R$ 372,7 milhões de reais aos cofres públicos.

No Rio de Janeiro, a energia solar fotovoltaica está presente em todos os municípios cariocas, com 27.294 conexões operacionais, espalhadas pelas 92 cidades do estado.

O Rio Grande do Sul também conta com quase todas as suas cidades produzindo energia solar: apenas um município gaúcho não possui sistema fotovoltaico.

O Ceará apresentou um aumento de 40% na geração própria de energia solar em relação a dezembro do ano passado, contando agora com 14 mil unidades instaladas.

Goiás e Espírito Santo também registraram números positivos. Enquanto os goianos superaram a marca de R$ 1,5 bilhão de aportes acumulados, os capixabas passaram a contar com todas as suas 78 cidades com sistemas fotovoltaicos em operação.

Vale destacar, também, algumas das inúmeras vantagens que a geração de energia solar trouxe e continua trazendo para toda a sociedade brasileira:

  • Desde o ano de 2012, mais de 9,1 GW estão em operação no Brasil;
  • Mais de R$ 48,5 bilhões novos investimentos privados;
  • Mais de R$ 275 mil empregos gerados;
  • Mais de R$ 13,8 bilhões em arrecadação de tributos;
  • Mais de 9,9 milhões de toneladas de CO2 evitadas.

Em escala municipal, os três municípios líderes na geração de energia fotovoltaica são Cuiabá (MT), Brasília (DF) e Teresina (PI), respectivamente.

Ainda, a energia solar fotovoltaica centralizada corresponde a 3.296 MW de potência instalada, cerca de 1,8% da matriz elétrica brasileira.

O cenário é promissor e indica avanços para o setor solar fotovoltaico que, além de abater os custos com a conta de luz dos consumidores brasileiros, alavancam a economia do país e auxiliam o meio ambiente, tornando a geração e distribuição de energia mais eficazes e sustentáveis.

POR: DIANA DANIELE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *