Apesar de ser conhecida por seus dias nublados e tempo ameno, a utilização de energia solar na cidade de Curitiba cresce cada vez mais.

Curitiba apresenta, por incrível que pareça, uma incidência de raios solares maior do que na cidade de Salvador (Bahia), por exemplo. O presidente da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Fotovoltaica), Rodrigo Sauaia, explicou sobre o tema, relatando que o clima quente não é determinante, mas sim o índice de radiação.

Entre os anos de 2019 e 2020, Curitiba apresentou um aumento de 50% na potência fotovoltaica instalada. Foram mais de R$ 60 milhões investidos, com a criação de 300 empregos, e uma transição de 6,6 para 9,9 megawatts de potência.

A alta contínua nas tarifas de energia, a acessibilidade dos sistemas de geração de energia solar e a maior disponibilidade das linhas de crédito para financiamento de geradores fotovoltaicos têm contribuído para o desenvolvimento do mercado solar. O Paraná atualmente ocupa a quarta colocação no ranking nacional de potência fotovoltaica, correspondendo a 9% do potencial solar instalado no Brasil.

Em se tratando da capital do Paraná, a implementação do uso de fontes de energias renováveis integra o programa “Curitiba Mais Energia”, sendo que o projeto começou a virar realidade com a sede da prefeitura, o Palácio 29 de Março, que recebeu painéis solares em seu telhado numa parceria efetuada com a Copel no ano de 2019. Pelo período de 12 meses, os painéis foram responsáveis pela geração de 205 MWh, resultando numa economia de R$ 106 mil nos custos de energia elétrica e em 28 toneladas a menos de gás carbônico emitido.

A cidade visa, também, a implantação de uma pirâmide solar no antigo aterro sanitário da Caximba. A futura usina faz parte do programa já citado, e tem como finalidade garantir o suprimento de 60% da energia consumida nos prédios públicos da capital, como escolas, terminais de ônibus e hospitais.

Tendo como objetivo a adoção de tecnologias sustentáveis apoiadas por organizações internacionais como a C40 (rede de cidades comprometidas com o enfrentamento das mudanças climáticas) e a agência de cooperação internacional do governo alemão (GIZ),  Curitiba caminha para se tornar o polo de Energia Solar no Brasil, já podendo ser considerada uma cidade exemplo na produção de energia fotovoltaica!

Com os constantes investimentos na esfera pública e privada, “A Revolução Solar” já está acontecendo na grande capital paranaense, dando aos habitantes e empresários a oportunidade de fazer da cidade uma referência na geração de energia solar em nosso país!

POR: DIANA DANIELE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *