Podemos definir “matriz energética” como o conjunto de fontes do qual um país dispõe para captar, distribuir e utilizar energia para os setores comercial, industrial e residencial.

Em se tratando da matriz energética mundial, há predominância de fontes não-renováveis, ou seja, os combustíveis fósseis como o carvão mineral, o petróleo e o gás natural são mais empregados como fontes de energia.

Por sua vez, as fontes renováveis de energia podem ser definidas como aquelas formas de produção de energia em que há a renovação dos recursos energéticos, isto é, são recursos não esgotáveis. A matriz energética mundial e brasileira conta com um rol diversificado de fontes renováveis, como a solar, eólica, hidráulica ou hídrica, biomassa e a geotérmica.

A maior parte da produção de energia no Brasil provém de fontes renováveis, especialmente a hídrica. Entretanto, nos últimos anos e com o advento de novas necessidades e tecnologias, a utilização de energias como a eólica e a solar ganharam espaço na vida dos brasileiros, alavancando o mercado de energias renováveis.

Além de tornar o custo de operação e distribuição mais barato, as energias renováveis possuem inúmeros benefícios para o meio ambiente. Os impactos ambientais são amplamente reduzidos, a transição para um sistema baseado em energias renováveis torna o desenvolvimento do país sustentável e socioeconômico, gera-se maior número de empregos, cria-se independência energética, redução de gastos de manutenção, e uma larga economia a longo prazo.

O uso da energia solar no Brasil corresponde a quase 2,0% de toda a matriz energética do país, atendendo em sua maior parte as residências (72,6%), seguido por empresas de comércio e serviços (17,99%) e pela energia solar rural (6,25%).

Com expressivo crescimento durante a pandemia da COVID-19, a energia solar fotovoltaica tem sido largamente utilizada como auxiliar na economia da conta de luz, na redução da sobrecarga de redes distribuidoras e na diminuição de impactos ambientais.

Vale destacar que a previsão para o final do ano de 2021 é que a porcentagem do uso de energia solar no Brasil passe de 2% para 2,9% .

Venha você também fazer parte da porcentagem de consumidores brasileiros que, além de diminuírem os gastos com a conta de luz, estão ajudando o meio ambiente!

Energia Solar: sinônimo de economia e sustentabilidade.

POR: DIANA DANIELE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.